Luciano Vergara – 24/02/2020 05h00

Mas os que esperam no Senhor renovarão as forças, subirão com asas como águias; correrão, e não se cansarão; caminharão, e não se fatigarão.” Isaías 40:31

“E

YOU MAY ALSO LIKE

spere sempre o melhor, mas prepare-se para o pior”, diz certo adágio. Em nosso quotidiano, certas provas nos alcançam sem avisar. E é justo, pois em condições adversas é que são reveladas os bons “marinheiros”, aqueles testados nas ondas bravias do “mar” da vida.

Ana era ainda menina quando ficou órfã de mãe. Seu pai conheceu então o desafio de sobreviver enquanto provia para ela e mais dois filhos do melhor modo que pudesse. A dificuldade fez com que Armando, pai de Ana, se apegasse a Deus, como aprendera desde cedo em família.

Foi nessa confiança que ele conheceu uma jovem que encarou o desafio de formar uma nova família com ele. Alguém de fora não entenderia, mas Armando via nisso a mão de Deus.

Superadas as dificuldades da infância, Ana se formou em Ciências Contábeis. Mas as provações não pararam aí. Ana ainda atravessaria a perda de um irmão, vítima de atropelamento, e uma enfermidade incapacitaria definitivamente o outro irmão. Mas a união da família foi uma corrente que fez com que ela suportasse as árduas dificuldades trazidas pela vida. Também, a despeito das dificuldades, a fé acompanhava aquela família.

Ana casou-se e não foi feliz. Num novo lar marcado pelo conflito, o filho único de Ana requeria cuidados especiais. Mas a jovem mãe não desistiu da fé. E, pela fé, fez cursos de especialização profissional. Um dia, veio a separação inevitável do casal. Foi em Deus que Ana encontrou motivos para ainda servi-lo na igreja. Demorou até que tornasse a se casar novamente, mas as lutas ainda cobrariam dela a vida de seu filho único, vítima de um assalto à mão armada, quando adolescente. Hoje, mesmo muito dolorida, é na oração e na leitura da Bíblia que ela acha forçaspara persistir e refazer sua vida.

Muitos teriam desistido na metade do caminho. “Mas os que esperam no Senhor renovam as suas forças, sobem com asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se fatigam”. Se Ana tivesse observado seus desafios sem essa confiança, o desânimo a teria dominado. Porém, Ana prestou atenção ao que Deus pôs em seu coração e isso multiplicou suas forças.

Que Deus seja a sua força hoje e sempre!

Luciano Vergara é pastor metodista, professor do Seminário Teológico Betel e jornalista.





Fonte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *